quinta-feira, 6 de maio de 2010

EU?



Gostava de esmalte vermelho, gostava de sombra verde realçava meus olhos. Gostava de caminhar a tarde sentindo uma brisa fresca no Rosto.

Era então uma adolescente sardenta, magrela e sonhadora. Acreditava que todos aqueles sonhos seriam realidade dia um, e esse dia chegaria breve certamente.
A maioria daqueles sonhos realmente tornaram-se realidade.
Encontrei meu grande amor, e nos casamos num sábado de muita chuva, tanta que parecia o Céu viria abaixo.
Os convidados estavam assustados e irritados até creio pelo mal tempo, Mas eu estava feliz, tão feliz, que sequer dei-me conta do temporal. Aquela chuva era forte e constante. Molhada, encharcada e encharcando a terra, deixando calçadas molhadas, e escorregadias. E eu feliz, deslumbrada. Apaixonada.
Dois anos depois nasce minha primeira filha, em uma tarde de muita chuva. Dois anos depois vem outra dádiva nossa segunda, demais.Depois de quatro anos decidimos ter bebe. Menino?Hora do parto segurou o obstetra pezinhos e mãozinhas, Virou traseirinho Disse: - Olha ai Terezinha, é uma menina. Veja aqui o resto é tudo Igual.
Feliz eu? NÃAAAAAAÂO, Apenas boba, boba de Felicidade.
SÓ SE TEM SAUDADE DO QUE É BOM. CHOROU-SE DE SAUDADE NÃO FOI POR FRAQUEZA
FOI PORQUE AMEI... (CD de Nelsinho Correia da Canção Nova)
O Tempo passou, depressa demais.
Um dia, uma menina que gostava de esmalte vermelho e sombra verde nos olhos olhou-se no Espelho e não gostou. Voltava do médico e Tinha na cabeça o diagnóstico:
A SENHORA TEM MAL DE PARKINSON.
Na Hora do diagnóstico Passou-me pela cabeça uma pergunta: isso morde?
Sempre fui um pouco irreverente, mas não fiz a pergunta. Hoje sei, Parkinson morde sim.Morde Pela dor e enrijecimento que fazem com que o movimento além de lento seja dolorido.
Quero andar rapidamente. Fazer coisas com maior rapidez.
Quero alegria, não tristeza
Meu limitador, o Sr Parkinson.
Não eu Que Seja Uma Pessoa triste. Não, de modo algum.
Vejo apenas dentro de mim uma mulher presa num corpo que não domina.
Estou revivendo meus dias e anos com PK. Sendo limitada por causa dos movimentos lentos.
Mas vou tocando em frente,vivendo o meu aqui e  agora.
Esperando a cura,mesmo parecendo utópica minha esperança, vou sempre crer contra toda lógica que até repudio,verei a cura para nóss todos portadores de PK.
Pronto,já estou bem animada .Passou a nostalgia.
Por hoje é só.

 








Um comentário:

Eu, Damaris, para mim... disse...

Adorei conhecer a menina q adorava esmaltes vermelhos e sombra verde nos olhos...Apesar das tremendas dificuldades, sei que vc ainda tem muito dela ai dentro.

Google Analytics