domingo, 12 de setembro de 2010

POESIAS DE FERNANDO PESSOA

Gosto muito de Fernando Pessoa.
Seus poemas e poesias são realidades de vida e sempre parecem terem sido escritas para mim.
Gostaria muito de saber tansportar para o papel, e agora para o pc as coisas  que vão pela minha cabeça e por meu coração do mesmo modo que Fernando Pessoa.
Tudo que ele escreve parece ter  sido para mim ( QUANTA PRESUNÇÃO!!!!), que hoje resolvi postar alguns de seus poemas.
Todos são o retrato exato do que gosto e creio ficam bem aqui.


                
Poesia Felicidade Fernando Pessoa

Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!
Fernando Pessoa




Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver



                         Apesar de todos os desafios,
Incompreensões e períodos de crise.
             Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas
    E se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si,
Mas ser capaz de encontrar um oásis
No recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma crítica,
Mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou
Construir um castelo ...
(Fernando Pessoa)









Onde você vê um obstáculo,
alguém vê o término da viagem
e o outro vê uma chance de crescer.
Onde você vê um motivo pra se irritar,
Alguém vê a tragédia total
E o outro vê uma prova para sua paciência.
Onde você vê a morte,
Alguém vê o fim
E o outro vê o começo de uma nova etapa...
Onde você vê a fortuna,
Alguém vê a riqueza material
E o outro pode encontrar por trás de tudo, a dor e a miséria total.
Onde você vê a teimosia,
Alguém vê a ignorância,
Um outro compreende as limitações do companheiro,
percebendo que cada qual caminha em seu próprio passo.
E que é inútil querer apressar o passo do outro,
a não ser que ele deseje isso.
Cada qual vê o que quer, pode ou consegue enxergar.
"Porque eu sou do tamanho do que vejo.
E não do tamanho da minha altura."




O Amor, Quando Se Revela (Fernando Pessoa)




O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.
Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há-de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...
Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pra saber que a estão a amar!
Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!
Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...


Essas eu sepaeipara hoje.Outro dia escolherei outras.
Também de outros autores e poetas que amo tamém.

Um comentário:

Maria José disse...

Amiga. Também ADORO Fernando Pessoa. Sinto-me incapaz de comentar tão nobre autor. Beijos e obrigada por sua carinhosa visita ao Arca.

Google Analytics